Operação desarticula novo grupo criminoso suspeito de fraudar Benefícios Emergenciais no Tocantins

 Operação desarticula novo grupo criminoso suspeito de fraudar Benefícios Emergenciais no Tocantins

A Polícia Federal deflagrou, nesta terça, 1, a “Operação Reversus”, com o objetivo de desarticular grupo criminoso suspeito de cometer diversas fraudes contra Benefícios Emergenciais na região norte do Tocantins.

Cerca de 14 Policiais Federais dão cumprimento a 02 Mandados de Prisão Preventiva, 03 Mandados de Busca e Apreensão e 01 Medida Cautelar Diversa da Prisão, bem como o bloqueio de R$ 50 mil (Cinquenta Mil Reais), Sequestro de 01 Automóvel e de 01 Residência, valores que ultrapassam R$ 400 mil (Quatrocentos Mil Reais), nos municípios de Colinas do Tocantins e Brasilândia do Tocantins. Todos os mandados foram expedidos pela 1º Vara Federal e Criminal da SSJ de Araguaína.

De acordo com as investigações os suspeitos cadastravam no aplicativo “Caixa Tem” diversas contas em nome de terceiros para recebimento do Auxílio Emergencial de forma fraudulenta, esses valores eram transferidos imediatamente, através de depósitos e boletos bancários, para contas vinculadas ao grupo ou pessoa. As emissões dos boletos eram feitas pelos próprios suspeitos, causando um enorme prejuízo à União.

Os trabalhos realizados são resultantes de uma união de esforços da Polícia Federal, que após a deflagração da “Operação 5ª Parcela”, realizada no dia 29/04/2021, identificou núcleos criminosos atuando na cidade de Colinas do Tocantins e região.

Os investigados poderão responder, na medida de suas responsabilidades, pelos crimes de associação criminosa, lavagem de dinheiro e furto qualificado por fraude eletrônica, cujas penas somadas, podem ultrapassar 20 anos de reclusão e multas.

O nome da Operação faz referência ao vocábulo latim que significa “voltando”, em continuidade ao combate às fraudes aos Benefícios Emergenciais, os quais são destinados a parte da população em situação de vulnerabilidade social em razão da pandemia causada
pelo novo Coronavírus.

Destaca-se que, em razão da atual crise de saúde pública, foi adotada logística especial
de prevenção ao contágio, com distribuição de EPI’s a todos os envolvidos, a fim de preservar
a saúde dos policiais, testemunhas e investigados.